Oficinas de Taekwondo, promovidas pelo Instituto Olga Kos já beneficiaram mais de 100 pessoas

Apresentação entre instrutores e beneficiários e entrega de medalhas e certificado com a presença dos mestres. Essas são algumas das atividades previstas para o encerramento do projeto Taekwondo VII, promovido pelo Instituto Olga Kos de inclusão cultural (IOK). As oficinas, gratuitas, ministradas por uma equipe multidisciplinar composta por educadores físicos e psicólogos, entre outros, durou pouco mais de um ano e beneficiou cem pessoas entre deficientes intelectuais e sem deficiência, mas em situação de vulnerabilidade social. 

O objetivo do projeto foi trabalhar os aspectos físicos e motores dessas pessoas e aumentar a consciência corporal, além de estimular a interação social, os aspectos cognitivos e promover a participação da família no processo de inclusão social. “A prática esportiva beneficia não somente o corpo e a qualidade de vida, mas, também, a capacidade emocional, cognitiva e social do indivíduo”, afirma Natália Monaco, coordenadora do departamento de pesquisa do IOK. As artes marciais, em particular, contribuem também para o desenvolvimento de aspectos comportamentais como respeito e disciplina. 

As oficinas do projeto aconteceram em instituições parceiras do Instituto Olga Kos: Associação VEM SER, no Sacomã; APAE Diadema; e CEU Casa Blanca, que fará o encerramento da última turma amanhã, quinta-feira, 27/6, a partir das 11h. A cerimônia é aberta ao público em geral e gratuita.  

Sobre o Instituto Olga Kos

O IOK atende cerca de 3 mil pessoas entre crianças, jovens e adultos com deficiência intelectual. Por meio de práticas esportivas como karatê e taekwondo e de oficinas de artes o Instituto Olga Kos estimula o desenvolvimento motor, melhora a qualidade de vida e amplia os canais de comunicação e expressão das pessoas com deficiência. Parte das vagas dos projetos é destinada a pessoas sem deficiência que se encontram em situação de vulnerabilidade social e residem em regiões próximas aos 40 locais onde as oficinas são realizadas na capital paulista. Desta forma, pretende-se possibilitar uma maior interação entre pessoas com e sem deficiência. Saiba mais em www.institutoolgakos.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *