Itapevi arrecada 40 mil peças durante Campanha do Agasalho

O Fundo Social de Solidariedade de Itapevi encerrou no último dia 12, a Campanha do Agasalho 2019. O encerramento aconteceu no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), em Amador Bueno, onde foi realizada a oitava distribuição de roupas e cobertores arrecadados.

“Receber estes agasalhos e cobertores é uma verdadeira bênção. O frio está chegando forte e estava muito preocupada porque não tinha coberta suficiente em casa”, disse a moradora do bairro, Maria Selma Gonçalves.

Lançada em abril, a campanha arrecadou cerca de 40 mil agasalhos e cobertores que começaram a ser entregues às famílias necessitadas já no mês seguinte. “Iniciamos a distribuição logo no início, para que as pessoas já estivessem com os agasalhos antes da chegada do frio mais intenso”, explicou a secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania, Elaine Rodrigues de Freitas.

As distribuições dos agasalhos aconteceram sempre aos sábados, em diversas escolas municipais, ao longo da campanha. Foram distribuídas cerca de 30 mil peças diretamente às famílias necessitadas nos bairros Alto da Colina, Suburbano, Vitápolis, Jardim Marina, São Carlos, Jardim Briquet, Vila Gióia e Centro.

O saldo restante de agasalhos e cobertores será dividido e entregue às entidades e associações de bairros da cidade.

Ao longo da ação, o Acolher disponibilizou 130 postos de coleta de doação espalhados por comércios, empresas, prédios públicos, escolas, unidades de saúde e CRAS (Centro de Referência em Assistência Social).

Voluntariado

Além dos voluntários do Acolher, a distribuição dos agasalhos no CRAS Amador Bueno, nesta sexta-feira (12), também contou com a participação de cerca de 40 funcionários da Cielo, integrantes do Movimento do Bem. A empresa participou da campanha itapeviense doando 820 cobertores novos e agasalhos arrecadados pelos colaboradores.

“Estamos muito felizes em participar da campanha, não apenas doando os agasalhos, mas principalmente oferecendo nosso tempo e atenção às pessoas mais necessitadas. Na verdade, quem mais ganha somos nós, porque a sensação de fazer o bem é maravilhosa”, disse Gleice Donini Souza, gerente de sustentabilidade.

Fonte: SECOM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.