Maior pontuadora da Copa do Mundo, Ana Bjelica está ansiosa para voltar a vestir a camisa de Osasco

Maior pontuadora da Copa do Mundo do Japão, com 209 acertos, Ana Bjelica é esperada na próxima semana no ginásio José Liberatti. Depois de brilhar no ataque da seleção da Sérvia, a ponteira/oposta de 27 anos chega com moral e motivação alta para defender o Vôlei Osasco-Audax na temporada 2019/20 e lutar por títulos. Ela chega para trazer potência ofensiva na luta pela conquista do Campeonato Paulista da Divisão Especial.

A atacante está feliz e ansiosa para voltar a Osasco. Bjelica defendeu o time comandado pelo técnico Luizomar na temporada 2016/17 e se identificou tanto com o clube como torcida. “Não vejo a hora de retornar para o clube que considero a minha casa. Fico honrada por fazer parte desta equipe tão tradicional e vitoriosa no Brasil, onde aprendi muito e melhorei meu vôlei. Vou trabalhar duro e jogar com muita paixão para deixar todos orgulhosos. Espero conquistar bons resultados para o clube”, ressalta a atleta.

As lembranças da primeira passagem por Osasco são de carinho para Bjelica. “Foi uma primeira experiência maravilhosa. O clube tem uma torcida fanática. Minha felicidade é enorme em jogar no Brasil novamente, que considero o país do vôlei. A comissão técnica sempre me deu tranquilidade e retorno com disposição para jogar, me desenvolver e espero evoluir jogo a jogo. A Superliga é longa e muito difícil, portanto, precisamos trabalhar duro para que possamos dar alegria aos nossos torcedores”, destaca a atleta, sem esquecer que o primeiro desafio é o Campeonato Paulista. “Quero jogar o estadual. E quero ganhar”, completa.

Bjelica atuou como oposta na Copa do Mundo, substituindo com eficiência a jogadora considerada a melhor do mundo na posição: Tijana Boskovic. Versátil, ela também joga como ponteira, posição que atuou em Osasco em sua primeira passagem. Aos 27 anos, foi a capitã da seleção sérvia no Japão, que jogou sem cinco das titulares que conquistaram o bicampeonato europeu. “Fiquei feliz por ajudar as jogadoras mais jovens, principalmente porque algumas delas jogaram seu primeiro grande torneio. Gostei de assumir a responsabilidade de ser capitã e compartilhar minha experiência. Mas, agora, meu foco está 100% em Osasco”, completa a ponteira/oposta, campeã mundial com a seleção do seu país em 2018.

O Vôlei Osasco-Audax tem os patrocínios de Audax, Bradesco, iFood, São Cristóvão/Saúde, Reserva Raposo, EcoOsasco e Hummel, além do apoio da Prefeitura de Osasco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *