Em reunião com o vice-governador, Emidio cobra soluções para acesso ao Miguel Costa e nova entrada de Osasco

Parlamentar também cobrou a implantação de integração entre os ônibus municipais e trens da CPTM na Grande São Paulo

Garantir melhorias em mobilidade urbana para Osasco. Este foi o foco da conversa do deputado estadual e ex-prefeito de Osasco, Emidio de Souza, com o vice-governador e secretário de Governo do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia.

Emidio aproveitou reunião da Comissão de Fiscalização e Controle da Assembleia Legislativa para tratar de obras para Osasco. Na ocasião, o parlamentar cobrou soluções para os moradores acessarem o Conjunto Habitacional Miguel Costa.

“Queria que o senhor conversasse com a CPTM para que seja mais razoável para ajudar a construir uma saída e ou uma entrada para aquelas pessoas que ali moram. Essa questão do Miguel Costa pode ser vista, por exemplo, no processo de concessão da Linha 8. Isso é muito importante”, disse Emidio, citando a possibilidade do acesso ao Conjunto Habitacional fazer parte do processo de concessão da Linha 8 – Diamante da CPTM.

De acordo com o vice-governador, é mais provável que o acesso seja feito pelo Estado em parceria com a prefeitura, pois através da concessão a obra levaria mais tempo para sair. “A população ali não tem tempo. Eu vou reforçar esse pedido seu ao secretário Baldy e ao presidente da CPTM”, afirmou.

Durante a reunião, Emidio também questionou a situação do novo acesso a Osasco através da rodovia Castello Branco e da duplicação do Viaduto Único Gallafrio, em Presidente Altino. “Essa questão da nova entrada para Osasco continua pendente. Entra governo, sai governo e até agora a ViaOeste não se manifestou de maneira contundente”, pontuou.

Em sua explanação, o parlamentar denunciou que o Viaduto está abandonado. “Esse viaduto fica metade em Osasco e a outra metade em São Paulo. É um equipamento que o Estado tem que cuidar e está completamente abandonado. Ele é muito importante. Ele é usado hoje, mas numa condição muito precária”, salientou.

Respondendo o questionamento, o vice-governador explicou o governo estuda o impacto financeiro da antecipação da renovação do contrato de concessão da ViaOeste para conseguiu incluir no processo a nova entrada de Osasco ou fazer uma nova licitação, para assim renovar o contrato e iniciar a obra da alça de acesso.

Rodrigo falou que o governo também leva em conta a possibilidade de incluir o viaduto Único Gallafrio no processo. Ele afirmou que a pandemia atrasou o processo e prometeu uma definição nas próximas semanas.

A integração dos ônibus municipais com os trens da CPTM foi outra demanda levantada por Emidio. O ex-prefeito de Osasco mostrou preocupação com o impacto da crise na vida das pessoas e questionou o vice-governador sobre o processo de integração do transporte na Grande São Paulo. “Na Capital já existem muitos lugares onde a integração funciona pelo fato de ali haver bilhete nesse sentido, mas na Grande São Paulo, especialmente na região Oeste, isso não tem. Quem mora, por exemplo, na zona sul de Osasco tem que pegar duas conduções e pagar duas tarifas”, ponderou.

Segundo ele, a medida beneficiaria centenas de milhares de pessoas da região metropolitana. “Essa é uma política pública muito importante para o trabalhador nesse período de dificuldades”, explicou.

O vice-governador falou da existência de proposta e se prontificou a cobrar a implantação. “Vou também pontuar essa sua demanda ao nosso secretário de Transportes Metropolitanos”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Em que podemos lhe ajudar?