Vereadores de Osasco reforçam necessidade de proteger crianças vítimas de agressão

No dia 19 de agosto de 1982, a Organização das Nações Unidas instituiu o Dia Internacional das Crianças Vítimas de Agressão. A ideia era tratar do sofrimento das crianças vítimas da Guerra do Líbano, e, de forma mais abrangente, proteger qualquer criança vítima de violência física, mental e emocional.

Para relembrar a data, a vereadora Cristiane Celegato (Republicanos) propôs a Moção de Apoio 174/2022 na 18ª Sessão Ordinária de 2022, ocorrida nesta terça-feira (14), que foi aprovada.

“Esta não é uma data comemorativa, pois violência deixa sequelas na vida de uma criança para toda a vida. Segundo dados da Unicef e do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, cerca de 35 mil crianças foram mortas no Brasil nos últimos cinco anos, 56% delas, negras, 40% morreram em casa e 46% por armas de fogo”, disse a vereadora.

Celegato também falou como o álcool e as drogas ilícitas potencializam agressões contra os menores. “Essas substâncias alteram o organismo e podem provocar mais agressões. A violência pode levar essas crianças a também usar drogas no futuro — 21% dos usuários de drogas relataram terem sido agredidos na infância, segundo estudo da Unifesp”.

“Os espaços para cuidar dessas crianças precisam ter boa manutenção”, sublinhou a vereadora Juliana da AtivOz (PSOL). Segundo ela, “quem cuida de quem cuida precisa pensar na estrutura desses espaços”.

Já o vereador Josias da Juco (PSD) relatou o caso de uma garota de 12 anos, morta após ser engravidada pelo próprio pai. “Por conta do álcool, da pandemia e de distúrbios mentais, cresceram os casos de menores abusadas por familiares”, lamentou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.