Comissão de Obras quer tecnologia para acompanhar visitas dos agentes da Saúde

A Comissão de Obras e Administração da Câmara Municipal de Osasco, presidida pelo vereador De Paula (PSDB), pretende emplacar uma emenda ao Projeto de Lei Complementar 30/2019 em que determina o uso da tecnologia para acompanhar o serviço prestado pelos agentes comunitários de saúde e agentes de combate à endemias. A intenção dos parlamentares é que a prefeitura forneça equipamentos como tablets ou palmtops para os servidores que, por sua vez, deverão detalhar, online, o trabalho realizado durante visitas aos moradores da cidade.

O PLC 30/2019 de autoria da prefeitura trata da criação dos empregos de agente comunitário de saúde e agente de combate à endemias e tramita agora na Comissão de Obras. Com o apoio de todos os membros, De Paula pretende modificar o texto original.

O vereador do PSDB sugeriu à comissão duas emendas. A primeira acrescenta o artigo 14 ao projeto e determina que “fica o poder Executivo responsável em providenciar o fornecimento de equipamentos tecnológicos que viabilizem o rastreamento e emissão de relatórios das visitas efetuadas pelas agentes comunitários de saúde e agentes de combate à endemias, bem como treinamento para sua utilização e demais instruções que permitam a eficácia de sua utilização.”

“Com esses equipamentos, poderemos saber instantaneamente em que casa os agentes estão, quanto tempo ficaram em visita e o tipo de atendimento que foi realizado. Depois, eles deverão preencher um relatório, uma espécie de diário de campo, de tudo o que foi feito. Esse monitoramento é importante para oferecermos um serviço de boa qualidade aos moradores de Osasco”, explica De Paula.

Também por meio de emenda, o parlamentar sugere a alteração de um dos itens que preveem o desligamento unilateral dos agentes do quadro da prefeitura. Para o tucano, ofensa moral aos usuários da rede pública, servidores e superiores, salvo em legítima defesa, deve ser passível de punição. O item original determina o desligamento apenas em caso de ofensa física.

“Os agentes que serão contratados terão o dever de respeitar as pessoas e, para isso, é importante eles saberem que nenhum tipo de ofensa será tolerado”, finalizou o presidente da Comissão de Obras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Em que podemos lhe ajudar?