Osasco cria 4 mil vagas em creche e leva tecnologia para a sala de aula

Garantir aos jovens um futuro promissor requer investimentos e estratégias que de fato melhorem a qualidade de ensino. É o que a Secretaria de Educação da Prefeitura de Osasco tem feito nos últimos três anos. Não apenas com a reforma e construção de novas unidades escolares, como as 11 novas creches entregues recentemente (foram geradas 4 mil novas vagas), mas também na criação de condições para que os docentes possam oferecer o melhor em sala de aula.
Para facilitar o trabalho de professores e integrar os jovens ao que há de mais moderno em termos de aprendizado, a Administração investiu em tecnologia e está instalando lousas digitais nas escolas. Também instituiu o ensino do espanhol.
Com as lousas digitais, os professores utilizam programas como PowerPoint ou links de sites, já que poderão navegar na internet durante a apresentação do tema proposto aos alunos. Também podem consultar conteúdos e reproduzir vídeos ligados ao conteúdo apresentado.
No período de férias, os alunos contam com atividades lúdicas nas escolas com a ajuda da tecnologia. Com o uso de iPads e aplicativos, aprendem a fotografar, gravar vídeos e editar conteúdo, com a inserção de textos e animações.
A Prefeitura também distribui anualmente 71 mil kits de material escolar para alunos e docentes. Nas creches, os materiais são de uso coletivo. No ensino fundamental, os alunos recebem kits individuais.
Também são entregues uniformes de verão e de inverno para 69 mil estudantes, incluindo os pequeninos das creches, e fornecidas 189 mil refeições diárias. O cardápio conta com frutas, verduras e legumes variados. Uma equipe de nutricionistas acompanha o cardápio e prepara a alimentação especial para as crianças que possuem alguma patologia, como intolerância à lactose ou diabetes, por exemplo.

Ensino
Para reforçar o aprendizado, a Prefeitura também implantou a escola em período integral em duas unidades (Emefs Cecília Corrêa Castelani, no Jardim Califórnia, e José Veríssimo de Matos, no Jardim Roberto), onde a garotada conta com oficinas no contraturno: matemática, inglês, capoeira, judô, interação digital, jogos cooperativos, jogos de tabuleiro, música, teatro, dança e esportes, entre outros. A escola de período integral também será implantada em outras unidades. A CEMEIEF (Centro Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental) Olinda Moreira Lemes da Cunha, localizada no Munhoz Junior, será a primeira da zona Norte a funcionar em período integral.

Valorização
Como forma de valorizar os profissionais da educação, em 2019 a Prefeitura criou o plano de cargos, carreira e salários dos servidores de apoio da Secretaria de Educação, e o plano de carreira e remuneração do magistério público municipal.
E para estimular os docentes a seguirem inovando, realiza todo ano o “Prêmio Professor Inovador”. A medida visa reconhecer, divulgar e premiar os trabalhos dos docentes que contribuem para a melhoria dos processos de ensino e aprendizagem desenvolvidos em sala de aula. O evento é realizado pela Secretaria de Educação e visa dar visibilidade às práticas pedagógicas consideradas exitosas e que servem de modelo e implantação na prática diária.

Ideb
Em razão desse conjunto de ações, a cidade tirou pela primeira vez em sua história a nota 6.1 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), do Ministério da Educação, e que mede a qualidade do ensino nas escolas públicas do país.
A nota é reflexo dos investimentos em educação e incentivo aos educadores, que têm conquistado prêmios pelo trabalho em sala de aula. Foi o que aconteceu no ano passado com a professora Nilma Sladkevicius Castellani, da Emef Luiz Bortolosso (Jardim Rochdale), que ficou entre os 10 agraciados com o prêmio “Educador Nota 10”, considerado a maior premiação da área no Brasil.
Ela ficou com prêmio na área de Língua Portuguesa, no nível EJA (Educação de Jovens e Adultos), pelo projeto “Um sorriso negro, um abraço negro”, em que, a partir da experiência dos estudantes, a maioria migrantes nordestinos, abordou temas como diferenças raciais e sociais.
Criado em 1998 pela Fundação Victor Civita, que desde 2014 realiza a premiação em parceria com Abril, Globo e Fundação Roberto Marinho, o prêmio procura reconhecer e valorizar professores da Educação Infantil ao Ensino Médio e também coordenadores pedagógicos e gestores escolares de escolas públicas e privadas de todo o país.
E os investimentos em educação continuam. Ainda este ano deverá ser inaugurada a segunda unidade do Mundo da Criança, no Jardim Piratininga (Avenida Getúlio Vargas, 990), na zona Norte da cidade. Será a maior creche do país (a 12ª a ser inaugurada), com 1.300 vagas.
Cerca de 4 mil estudantes da rede municipal são beneficiados com o Programa de Transporte Escolar Gratuito (TEG). Do total, aproximadamente 100 possuem algum tipo de deficiência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Em que podemos lhe ajudar?