Trabalho dos professores durante a pandemia é elogiado por vereadores de Osasco

Profissionais da educação receberam Moção de Congratulações pelo Dia do Professor, celebrado no dia 15 de outubro.

A vereadora Elsa Oliveira (Podemos) apresentou uma Moção de Congratulações dedicada aos professores pela celebração do dia 15 de outubro. O documento foi aprovado por unanimidade durante a Sessão Ordinária desta terça-feira (19). Na ocasião os parlamentares também elogiaram a dedicação dos profissionais da educação durante a pandemia.

Nos últimos meses, a suspensão de aulas e atividades presenciais exigiu muito esforço dos profissionais da educação, que tiveram que se reinventar para poder ensinar através dos meios virtuais. O esforço foi reconhecido pelas vereadoras Elsa Oliveira e Juliana da Ativoz (PSOL).

“Tiveram de virar “youtubers”, apresentadores e perder a timidez. Eles não esmoreceram, foram firmes e se desdobraram para continuar formando nossos filhos”, comentou Elsa Oliveira, que é mãe de coração de uma menina de 10 anos. Ela falou sobre a dificuldade que as crianças também enfrentaram em ficar longe do espaço da sala de aula.

“A sala de aula é o local onde tudo acontece, local de interação. A falta das crianças manterem o diálogo e aproximação com outros colegas que fez muita falta”, expressou a parlamentar, frisando que o convívio social é fundamental para a formação das crianças.

A vereadora ressaltou também que os profissionais da educação fazem a diferença não apenas na cidade de Osasco, mas em todo o país.

Pedagoga e profissional afastada da sala de aula desde que assumiu a função de vereadora, Juliana da Ativoz falou sobre o esforço dos professores para se readaptar no início da pandemia.

“A vida do professor de fato mudou. Tivemos que correr para comprar novos computadores e telefones melhores. Atendemos nossos alunos até de sábado à noite. Como isso foi complicado”, comentou Juliana. “É difícil, principalmente, ser professor da educação infantil de forma remota”. Ainda para Juliana, “não foi fácil para ninguém e sei como é estar na sala de aula com 35 alunos pequenininhos, de quatro anos. É impossível não abraçar e não acolher. Como você faz para realizar esse trabalho não estando 100% bem?”.

A parlamentar aproveitou para criticar àqueles que pejorativamente falam que professor é vagabundo. “É muito difícil para gente ser chamado de forma pejorativa, de vagabundo, de que não queremos dar aulas. Nós nos preocupamos com todos. Esses batalhadores merecer todo o respeito e merecem ser muito bem acolhidos nesse momento. É importante pensarmos como acolher esse professor e esse aluno que ficaram fora durante todo tempo”, comentou Juliana.

Na ocasião, tanto Elsa, quando Juliana, comemoraram o retorno as aulas presenciais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.