Receita Federal localiza 1.787 quilos de cocaína em carga de exportação no Porto de Santos

A Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Santos frustrou, em 8 de março, a tentativa de envio ao exterior de 1.787 quilos de cocaína. É a maior quantidade da droga já encontrada em um só contêiner pela fiscalização da Receita Federal no porto. 

A Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Santos frustrou, em 8 de março, a tentativa de envio ao exterior de 1.787 quilos de cocaína. É a maior quantidade da droga já encontrada em um só contêiner pela fiscalização da Receita Federal no porto. 

O contêiner onde estava a droga transportava uma carga de limões frescos acondicionados em caixas de papelão, distribuída em 22 estrados. Destes, 14 estrados continham cocaína. 

A seleção da carga para conferência é resultado da  análise de risco baseada em critérios específicos, inclusive fazendo o uso de imagens não intrusivas (obtidas através do escaneamento de contêineres). Essa inspeção contou com o apoio dos cães de faro da Unidade, que sinalizaram positivamente quanto à contaminação da carga. 

O destino final do contêiner seria o porto de Cartagena, na Espanha, com baldeação no porto de Algeciras, no mesmo país. 

Suspeita-se da técnica criminosa denominada “rip-on/rip-off”, em que a droga é inserida em uma carga lícita sem o conhecimento dos exportadores e importadores. 

A droga interceptada pela Receita Federal foi entregue à  Delegacia de Polícia Federal de Santos, que prosseguirá com as investigações. 

Seguem fotografias em anexo. Temos dois vídeos para fornecer para quem tiver interesse. 

A Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Santos frustrou, em 8 de março, a tentativa de envio ao exterior de 1.787 quilos de cocaína. É a maior quantidade da droga já encontrada em um só contêiner pela fiscalização da Receita Federal no porto. 

O contêiner onde estava a droga transportava uma carga de limões frescos acondicionados em caixas de papelão, distribuída em 22 estrados. Destes, 14 estrados continham cocaína. 

A seleção da carga para conferência é resultado da  análise de risco baseada em critérios específicos, inclusive fazendo o uso de imagens não intrusivas (obtidas através do escaneamento de contêineres). Essa inspeção contou com o apoio dos cães de faro da Unidade, que sinalizaram positivamente quanto à contaminação da carga. 

O destino final do contêiner seria o porto de Cartagena, na Espanha, com baldeação no porto de Algeciras, no mesmo país. 

Suspeita-se da técnica criminosa denominada “rip-on/rip-off”, em que a droga é inserida em uma carga lícita sem o conhecimento dos exportadores e importadores. 

A droga interceptada pela Receita Federal foi entregue à  Delegacia de Polícia Federal de Santos, que prosseguirá com as investigações. 

Seguem fotografias em anexo. Temos dois vídeos para fornecer para quem tiver interesse. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.