Osasco São Cristóvão Saúde joga clássico contra o Sesc RJ Flamengo nesta sexta-feira (12)

O Osasco São Cristóvão Saúde enfrenta o Sesc RJ Flamengo nesta sexta-feira (12), a partir das 19h, no ginásio Hélio Maurício, na Gávea, Rio de Janeiro, em partida válida pela sétima rodada do returno da Superliga Banco do Brasil 2020/21. O clássico, considerado a maior rivalidade do vôlei feminino no mundo, vale um lugar no top 3 do campeonato. O canal Sportv 2 transmite a partida.

Com um jogo a menos, Osasco São Cristóvão Saúde ocupa a terceira posição, com 36 pontos. O Sesc vem logo atrás, em quarto, com 35. Os dois times empatam em número de vitórias (12), mas o Sesc tem uma derrota a mais (4 contra 3). No retrospecto da temporada 20/21 da Superliga, a vantagem é das osasquenses. No primeiro turno, bateram as cariocas por 3 sets a 0, no ginásio José Liberatti. 

“Clássico é clássico, um jogo em que o psicológico pesa tanto quanto as partes técnica e tática. Por isso, estamos concentradas em entrar em quadra 100% e jogar o nosso melhor. Aproveitamos ao máximo o tempo após o jogo contra o Minas para treinar e estudar o Sesc e vamos com tudo em busca da reabilitação. Sabemos que precisamos render mais. E vamos render mais”, afirma a oposta Tandara, citando a partida em que Osasco foi superado pelo Itambé Minas, na terça-feira (9). 

Para superar o Sesc, Osasco aposta na agressividade do saque e na eficiência do bloqueio, duas principais armas do time nas vitórias conquistadas na Superliga. “Precisamos quebrar o passe delas para criar oportunidades de contra-ataque. E, logicamente, precisamos aproveitar as chances para pontuar. Estamos buscando aumentar nosso índice de aproveitamento, minimizando erros que fazem a diferença no placar. Especialmente no meu caso, preciso ser mais efetiva no ataque”, completa a camisa 16 de Osasco, segunda maior pontuadora da Superliga, com média de 4,74 pontos por set.

Assim como Osasco, a estratégia do Flamengo também passa por dificultar a recepção do adversário. Se depender de Camila Brait, melhor passadora da Superliga, com 81% de acerto, isso não vai ocorrer. Para facilitar a linha de passe, que, além da líbero, conta com ponteira Jaque, as centrais prometem subir o paredão. Mayany é vice-líder em bloqueios, com 65 pontos no total e média de1,18 toco por set, enquanto Bia aparece em oitavo lugar, com 36 acertos no fundamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Em que podemos lhe ajudar?