Piloto de Alphaville, Fabrício Bianchini, vai encarar o Sertões de Buggy V6 da MEM Motorsport

Contagem regressiva para o 28º Sertões, o maior rali das Américas, que acontecerá de 30/10 a 7/11, com largada do Autódromo Vellocittà, em Mogi Guaçu (SP), e chegada em Barreirinhas (MA). E para encarar esse roteiro de aproximadamente 5 mil quilômetros, que cruzará cinco estados e o Distrito Federal, o piloto de Alphaville, Fabrício Bianchini, vem com novidades para essa edição: em sua 20ª participação, vai pilotar o Buggy 4×2, motor V6 da MEM Motorsport. O cearense Adhemar Pereira “Índio” será o navegador.

Amigos dentro e fora dos grids, com trajetórias distintas no off-road, têm em comum a paixão por duas rodas. Ambos são pilotos de moto, tanto que a maior parte das participações no Sertões foi na categoria. Em 2018, pela primeira vez, formaram uma dupla e competiram nos UTVs. Desta vez, o desafio será maior e mais potente, vão acelerar de São Paulo ao Maranhão de Buggy, pela categoria Open.

“Já tive o privilégio de pilotar o bugão no Rally Rota Sul 2019 e foi uma experiência incrível, mas foram apenas dois dias e 700 km de Especiais, agora, a pegada é outra e estamos muito felizes em poder disputar o Sertões na categoria. Será um desafio e tanto”, afirma Bianchini. Em sua primeira experiência com o buggy, em dezembro, terminou em 3º na geral dos carros, ao lado de Marcos Finato, também competidor e empresário de Alphaville.

Quem também está muito animado é Adhemar “Índio”, que completa neste ano, a sua 11ª participação no Sertões. “Vou com o meu melhor amigo encarar esse desafio no buggy 4×2. Será uma super experiência e também uma grande responsabilidade. Aliás nosso numeral é #306, cuja somatória dá 9, que na numerologia significa justamente a Responsabilidade. Sou místico e essa coincidência não foi à toa”, explica o competidor de Fortaleza, que completa “estamos preparados para cruzar a rampa de chegada em Barreirinhas, local que conhecemos bem, porque há sete anos fazemos trilhas de moto pela região.”

Roteiro e novo formado – Devido a pandemia da Covid-19, o Sertões será diferente este ano e seguirá um protocolo e segurança especial. Toda a caravana será fechada em sistema de bolhas, serão locais isolados, afastados das cidades para não haver aglomeração e com todos testados, ninguém poderá entrar ou sair durante todo o rali. Todos deverão seguir uma rota pré-estabelecida e monitorada. Nesta 28ª edição não haverá público, nem chegadas em cidades anfitriãs, sendo que os locais das bolhas só serão divulgados aos competidores na véspera. O rali largará do Autódromo Velocittá, em Mogi Guaçu (SP) e vai cruzar os estados de Minas Gerais, Goiás, Tocantins e o Maranhão, além do Distrito Federal.

Perfil da dupla

Fabrício Bianchini – Apelido “Gaúcho” (piloto): Gaúcho de Porto Alegre, mas radicado em São Paulo há vários anos reside em Barueri/SP. Bianchini tem uma trajetória de 25 anos nas motos e já disputou 11 edições do Sertões na categoria. Aos 40 anos, Bianchini segue para sua 20ª participação. Movido a desafios e piloto experiente, também competiu na categoria carros e UTVs. Foram quatro edições nos carros, sendo que em 2016, terminou em sexto na geral (com o navegador Caio Santos), pilotando com um T-Rex (MEM Motorsport) na Protótipos T1. Fundou a própria equipe em 2005, a Bianchini Rally, que por duas edições do Sertões foi premiada como Melhor Equipe do grid. Paralelamente, o piloto compete no Campeonato Brasileiro de Rally Baja, seu último título foi em 2018 na categoria Production, com uma Husqvarna FE 501.

Adhemar Pereira – Apelido “Índio” (navegador): Em 2020, o piloto cearense, de 48 anos, segue para a sua 11º participação no Sertões. “Índio ou Indião” como é conhecido nas competições, desde a infância é apaixonado por duas rodas e sempre visualizou no off-road a possibilidade de conhecer melhor o país. Entrou para as competições em 2009, quando iniciou nos campeonatos estaduais e nacionais. Em 2017, Índio recebeu o “Prêmio Espírito do Rally” da Dunas Race (organizadora da prova) e foi homenageado pela Federação de Motociclismo do Ceará (FMC) pela participação na 25ª edição do Sertões. Até o momento foram nove participações nas motos, uma nos UTVs e, neste ano, competirá pela primeira vez, com o amigo Fabrício Bianchini, com o Buggy 4×2 de motor V6, uma novidade para ele.

A equipe – Nasceu em 2005 quando Fabrício Bianchini decidiu montar a sua própria equipe com sede em Barueri/SP. Dois anos depois, com patrocínio do Grupo Infinity Bio Energy, juntamente com o piloto Marcos Finato, desenvolveram as primeiras motos de rali a álcool no Brasil. Pioneira com o projeto tornou-se a primeira equipe Carbon Free do Sertões. Entre 2007 e 2010 se chamou Infinity Rally Team, mas a partir de 2012, passou a adotar o nome Bianchini Rally. Nas edições de 2007 e 2008 foi premiada como Melhor Equipe do Rally dos Sertões. Pela tradição e profissionalismo conquistados, o time trabalha com pilotos campeões do segmento duas rodas no Sertões, Campeonatos Brasileiros de Rally Cross Country e de Rally Baja.  Entre 2013 e 2016, a equipe disputou a Mitsubishi Cup. Desde 2018 o UTV entrou na equipe com a dupla Bianchini/Adhemar Pereira “‘Índio” e no Sertões 2019 com Javier Fernandez/Marcos Colvero.  Desde 2019 a equipe fechou parceria com Powerhusky/Husqvarna Motorcycles Brasil e o time vem conquistando pódios nos Campeonatos Brasileiro de Rally Baja e no Brasileiro de Rally Cross Country.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Em que podemos lhe ajudar?