Ansiedade é a principal queixa nos consultórios psiquiátricos de Barueri

A exposição ao estresse prolongado causado, também, pelo medo da contaminação da Covid-19, tem sido o principal responsável pelos transtornos de ansiedade. No dia do Psiquiatra (celebrado dia 13 de agosto), a Secretaria de Saúde, por meio da Diretoria Técnica de Saúde Mental, alerta sobre a importância do acompanhamento desse profissional em tempos de pandemia.

“Os casos mais frequentes no consultório psiquiátrico, disparadamente, são os transtornos de ansiedade. Principalmente neste momento que estamos vivendo. A sensação de ameaça do vírus tem feito desencadear muitos transtornos emocionais”, explica o médico psiquiatra Lúcio dos Santos Scaramuzzi, que atende na Unidade Básica de Saúde Vince Nemeth, do Jardim Audir.

O médico afirma que a assistência psiquiátrica dada a pacientes que apresentam sintomas significativos de ansiedade é essencial, não só para o acompanhamento medicamentoso, mas em medidas de aconselhamento.

“O aconselhamento é importante no sentido de tranquilizar o paciente. Primeiro com objetivo de estimular uma convivência familiar harmoniosa. Devido ao confinamento, por causa da ameaça do vírus, muito do que se tem trazido ao consultório é o desgaste nas relações entre as famílias. Segundo, manter o sujeito produtivo, com a sua profissão ou nas suas atividades”, aponta.

Esses transtornos são combatidos com medicamentos e psicoterapia. Associar o tratamento com outras ações, como atividade física, ioga, terapia ocupacional, meditação é importante, assim como orientar o sujeito a buscar aquilo que lhe dá prazer. 

Sintomas de ansiedade

Os principais indícios do transtorno de ansiedade estão relacionados à chamada reação de luta ou fuga, causada por uma sensação de temor, mesmo quando não está claro o fato da ameaça. Entre os sintomas físicos estão taquicardia, dores no peito, falta de ar, tremores e aceleração no ritmo respiratório.

Tratamento

Em Barueri, a saúde mental se concentra, principalmente, nas três unidades do CAPS (Centros de Atenção Psicossocial Infantojuvenil, Adulto e Álcool e Drogas). A assistência se estende às Unidades Básicas de Saúde (UBSs) também. O atendimento psiquiátrico se manteve por meio de teleatendimento e visitas domiciliares para os casos mais graves, além das consultas individualizadas.

“Na pandemia, nos adaptamos com estratégias a fim de assegurar que o paciente não ficasse desassistido, bem como garantir o vínculo estabelecido entre o serviço e o paciente”, declara a diretora de Saúde Mental, Rita de Cássia Bittencourt Stella.

Além do complexo que abriga os três CAPS, o atendimento com a especialidade de Psiquiatria  acontece nas UBSs Drª Katia Kohler, no Engenho Novo;  Hermelino Liberato Filho, no Jardim Belval; Amaro José de Souza, no Jardim Mutinga; Vince Nemeth, no Jardim Audir; e na Edini Cavalcante Consoli, no Jardim Tupan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Em que podemos lhe ajudar?