Bocha de Barueri desafia Ipiranga com Taça de Prata do Metropolitano garantida

Depois de vencer a equipe da Vila Nivi / Mongamar, por 3 a 1, no domingo, dia 24, no Parque dos Camargos, e ficar com 19 pontos na sexta colocação, o time do Barueri Esporte Forte volta à cancha neste fim de semana na 14ª rodada – última do segundo turno – pelo Campeonato Metropolitano de Bocha Rafa 2022 (Troféu Júnior José Corteletti). Já classificado para a Taça de Prata, dentro da competição, o time desafia o Clube Ipiranga Tatuapé, domingo, 31, às 9h, em São Paulo.

O Campeonato Metropolitano de Bocha Rafa é disputado em turno e returno por 15 clubes, distribuídos em dois grupos. Barueri está no Grupo Preto com Ipiranga, Vila Diva, Vila Nivi, Usmavici / Savita, Benfica, Estrela / Vila Mazzei e Jaguara / Temporim (Osasco). Do outro lado, no Grupo Vermelho, estão São Caetano / Amigos Dom (Ipiranga), Caieiras, Bandeirantes (Bragança Paulista), Santa Rita, Vila Olímpia, Vasco da Gama e Benfica / JMJ.

Com o triunfo diante da Vila Nivi, o Barueri Esporte Forte somou quatro vitórias no Campeonato Metropolitano deste ano, todas no Parque dos Camargos, na cancha da Associação Vila Ilhéus (instituição subsidiada pela Prefeitura de Barueri, por meio da Sads – Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social). Nas demais rodadas, a equipe representada pelo bochófilo Carlos Henrique, o Argentino, empatou duas vezes (uma em São Paulo) e perdeu sete jogos, sendo duas derrotas em casa.

A próxima fase do torneio terá sete times competindo na Taça de Prata e oito equipes disputando a Taça de Ouro. A classificação de Barueri já era esperada pelo fato da Taça de Ouro ter times jovens e realmente fortes. “Está dentro do que prevíamos. E vencer a equipe da Vila Nivi foi um grande resultado, pois sempre jogamos bem em casa”, comentou Argentino, que é brasileiro e ganhou o apelido por chegar, pela primeira vez, à cancha do Parque dos Camargos vestindo uma camisa da seleção do saudoso craque Diego Maradona.

De acordo com “Argentino”, a média de idade do Barueri é de 60 anos. “É uma equipe com jogadores mais velhos, atletas que atuam porque gostam mesmo. Sentem-se contentes. Temos buscado incentivo para fortalecimento do time e da modalidade. Estamos começando uma escolinha com alunos de 8 a 14 anos de idade. A bocha é um esporte misto. Todos podem jogar (avô com neto, mãe e filho). E tem como lema: fazer amigos. Para nós, com certa idade, é superinteressante porque, além de jogarmos, fazemos grandes amizades”, comemora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.